Leio e Penso #004'


Ela se apoiou na ponte e suspirou,
Rezou aos deuses que a perdoasse por tamanho absurdo.
Olhou para a água que calmamente corria abaixo de seus pés,
fechou os olhos e tomou uma decisão.
Mas, morrer ou não? Por amor?
Que réu maldito esse que lhe fez amar tanto,
Que juiz miserável que lhe tormenta a alma, que a obriga
a carrega-lo até seu descanso.
Seria a melhor decisão... ela se atirou.
A beleza da morta junto com a beleza daquela água pura,
Que se fez transparecer a maior prova de amor jamais vista na morte.

Luana Almeida.

4 comentários:

Tiago Moralles disse...

Morta de amor.

Anaa_bb disse...

As vezes nos precipitamos, talves a morte tenha sido a melhor excolha, ou não. Podemos amar novamente não é mesmo?

Mas as vezes o Amor é tão grande, tão sublime, que até mesmo a morte parece melhor do que ficar sem esse amo.

Muito bom floor *--*

Bjokas

Lúu Almeida disse...

Somente a "Morta" para compreender tamanho
amor, talvez até mesmo um amor absurdo!

Flores!

Stº Lorac disse...

só a morta mesmo, para compreender tudo isso!!
Um amor sem medidas.
beijos!!