A caixa rosa.

Amar...
Ontem havia recados,
ligações, beijos, laços e
hoje não resta nada,
só alguns recados
guardados na caixa rosa
(a caixa dos segredos).
Como pode? Assim?
Ontem você me amava,
eu te amava, nós nos amávamos e
hoje não resta uma gota de amor.
Ontem era eu a tua menina,
hoje é ela a tua mulher.
Ontem era tu o meu homem,
hoje é ele o meu menino.
E aquele teu beijo meu
agora é dela?
Dá a ela o que foi meu,
o que foi eu e eu?
É estranho ter que ser assim,
é até mesmo cruel, doente.
Tanto amor, tanto amar e
hoje não existe o nós,
só eu e você.
bem que podia esquecer
dela e lembrar de mim.
bem que podia devolver meus beijos
e escrever outros recados.
Pra eu guardar lá na caixa rosa
(a caixa dos segredos).

Dedicado a quem já floriu meu jardim,
meu antigo verão, meu amigo de alma.
Pra você bein.

3 comentários:

Anônimo disse...

Essa criatura anda confusa?

Isadora Peres disse...

Esses amores passados... ai ai. Quando são bons as lembranças tornam-se tão doces que dá aqueeela vontade de experimentar tudo de novo. haha!

Mas você não tem o seu hoje, também, Lú? hahaha.

Beijos, flor!

Dave disse...

Lembranças, eternas lembranças...