Luíza.

Ausências, desde sempre...


Gastón Suaya



















O gosto foi deixado por meus avós,
o sabor foi deixado por meus pais.
Eu fiquei só.
Tão menina desde a eternidade que nem eu mesma
percebi meus seios crescerem, nem vi minha adolescência.
Esqueci de crescer e ainda espero no portão a volta de meus pais,
o rosto de meus avós. O cheiro do café de minha avó.
Eles os mataram, a maldita sociedade.
Tornei-me órfã, de família, de amigo, de amor.
E o que é o amor?
Eu nunca soube nada a seu respeito, nunca o tive,
nem o vi passar por mim. E se passou agora é tarde.

Luíza, vem cá.
Senta aqui no meu colo que eu te consolo.
Não te preocupa com o teu passado, foi só um 
pedaço do teu eu que ficou para trás.


"Difícil mesmo é seguir em frente."

6 comentários:

BlackST disse...

Ausência de um passado que não se deixou passar.
Belo texto.

http://venenum-at-dunkelheit.blogspot.com/

Su disse...

A sociedade mudou ao ponto de pequenas coisas serem esquecidas. ou postas de lado...Ou mesmo, como no seu poema: despercebidas.

Anaa_bb disse...

É complicado como sentimos a perda de algo amado, é impossível superar o buraco que fica do que se perdeu. Adorei o texto.
Beijos

Isadora Peres disse...

Nossa, Lú... Que texto triste (eu achei). Quando sentimos essa perda do amor familiar é tão ruim... Mas é a vida, não é? Sempre levando essas coisas de nós. E consequentemente levando um pouco de nós também, as vezes. É dificil, mas devemos seguir em frente para encontrarmos esse um pouco de nós no que/em quem está por vir!

Beijos, linda. Saudade.

Rosy disse...

olá adorei seu Blog e me tornei seguidora! me siga tbm e o seu comentário é muito importante
http://rosy-artesdarosy.blogspot.com/

Sucesso!

Heitor Idílio disse...

"Vem cá, Luíza
Me dá tua mão
O teu desejo é sempre o meu desejo
Vem, me exorciza
Dá-me tua boca
E a rosa louca
Vem me dar um beijo
E um raio de sol
Nos teus cabelos
Como um brilhante que partindo a luz
Explode em sete cores
Revelando então os sete mil amores
Que eu guardei somente pra te dar Luíza...
Luíza."

Haverá sempre passos pra seguir em frente... Mesmo que apenas passos reticentes.

Sopros!!!