Da presença, desespero.

Merci Andrews

























É desconcertante, desconfortável tê-lo por perto.
Antes fosse como antes, quando ainda existia algumas gotas de amor e nelas o respeito, 
o querer bem, mas hoje são cólicas de estresse com sua presença.
De tudo que eu sonhei e desejei tua presença estava inclusa e preciosamente guardada 
em mim e agora não, não desejo nem teu nome, teus cachos, quem dirá presença tua. 
Peço perdão e exagero. Enxergo que existiram erros e que nos ensinaram. Sim, aprendemos.
Não digo que não fui, eu fui e você também. Mas agora nesse segundo de vida minha eu lhe 
peço licença e paciência, mantenha-se distante, o suficiente pra eu não sentir frio ou arrepio.
O suficiente pra eu sobreviver de uma ressaca de amor. 
"... perdoa, meu amor, perdoa..." ♫

Um comentário:

Daíse disse...

Olá!!!!
Gostei de tudo o que vi aqui: textos, imagens... Aliás, você escreve muito bem!
Voltarei sempre!!!
Beijinhos!!!!