Empurra-me?

Talvez eu tente, talvez eu não consiga.

anna

























E quando me vem a partida, o adeus eu olho aquele passado que me alegrou tanto e hoje me faz ter só saudade. Nunca deixou de existir meus quereres e nem os teus, eu sei. Mas é que seguir assim de contra tudo o que desejo é até mesmo injusto comigo. E depois quem sofrerá será eu, aceitando as escolhas que eu fui obrigada a fazer, mas não quero. Não quero porque te amo e porque o mais essencial pra mim é isso aí, é tu. Mas nem preciso explicar, não. Tola! Chega de pensar bobagem, não tem um outro jeito (ou talvez tenha), vou seguir. Meu maior desejo é seguir assim como estou agora crescida, desequilibrada, maluca, livre (tem mais, muito mais); mas com o meu passado-dengo do lado. E sentir novamente desesperadamente acelerar o coração, e sentir os lábios secos por um beijo e amar, amar. Amar já amo, mas quero.

Seguir ou não seguir?

Um comentário:

Luu disse...

Ah como sinto falta desse desacelerar de batimentos, de sentir os lábios secos por um beijo. Acho que sinto falta de amar.
Siga buscando o amor.