Nos une.

Brooke Shaden


























Não guarda essa pranto, ele não é teu.
Não cultive cravos, a rosa é você.
Segue teu caminho rumo ao paraíso,
rumo a o que há em você, você.
Cospe tudo o que te feriu, guarde
as pedrinhas brilhantes e cante todas
as canções que lhe fazem feliz.
E calma, calma. O tempo sabe o que
procura por entre seus cachos, o tempo
sabe o que fazer para que você possa
sentir novamente o amanhecer da alma.
E as palavras nos compõem, cantamos a
mesma canção todos os dias, dançamos
no mesmo compasso o passo de adeus.
E não é fim, é transformação.


Dedicado a deusa de lá.

2 comentários:

JasonJr. disse...

:D

Jéssica Monalisa disse...

Sempre encaramos as novas fases da vida como finais, mas na verdade, são apenas transformações como você escreveu... Lindo poema, lindo mesmo!