'da tarde.


Sou tão bruta com minha felicidade, tão desobediente com minha sorte. 
Vivo do modo que cabe em mim e sempre faço das borboletas exemplo 
e nem por isso me sinto só. Eu me sinto leve.

                                            Dedicado ao meu amor mar, Cello.

Nenhum comentário: