Agora.

A insegurança, o medo, tudo bateu a minha porta.
E agora o que faço? O que devo fazer?
Penso, penso, penso... nada me diz!
Tudo poderia ser mais fácil se as borboletas da minha vida
me ajudasse a cada dia no meu caminhar.
As luzes foram apagadas, o microfone esta ligado,
tenho que falar algo, tenho que talvez cantar, até que me
seria bom nesse momento.
Mas me diz o que devo fazer. Eu como criança
morro de medo de tudo.
Queria colo da mãe, colo do pai,
Mas me parece que nunca houve nada.

2 comentários:

Babi disse...

o mais importante é sempre seguir em frente, apesar de tudo. :)

Lúu Almeida disse...

Tento, tentamos!

Flores!