Um tanto quanto.

Hoje logo quando acordei veio a lembrança de uma outra vida, a qual eu dediquei todo o amor cabível em mim. Igualzinho o que me aconteceu essa semana, fui almoçar com uma amiga que mora no bairro em que eu cresci, o bairro em que aprendi a ser criança e gente, onde eu descobri a mata e os gafanhotos, os medos e as vitórias. Cada ano vai se passando e tudo continua lá, o bairro que eu morei, as pessoas que eu brinquei, o amor que eu roubei, as juras, os passarinhos que me acompanhavam até a escola... tudo.
Pra completar a loucura ontem eu me via velha e pensei que seria cisma comigo mesma, mas não. Todo mundo que eu olhava estava velho. Acho que o tempo está passando pra mim e ele não é cruel, ele dá tudo o que eu preciso... tempo. 
"O tempo vai passando, a dor diminuindo e a saudade aumentando".
Lembro da vó, do vô, da tia, da Maci, da Cris, dos irmãos, do amarelo, da bandeirinha, do cheiro da mãe, do primeiro beijo, do amor, do verdadeiro amor. Já passou tanta coisa e sinto que vem mais. Tô preparando as malas e a coragem pra buscar um outro céu. E assim como tudo e todos que passaram em minha vida, a cada dia, mês, ano, século, eu vou chorar de saudade. 
Queria hoje, num breve instante reunir todo meu amor e todas as pessoas que eu amei. Não é o fim, é a nova página que se inicia. 


O que eu mais gostava em vida? 
Passarinhos e pijamas!

Um comentário:

Pcesar disse...

vocêd tem a alma linda. tome cuidado pra não sofrer demais...